Sim, já que os impactos desproporcionais da pandemia sobre os(as) jovens aumentam a desigualdade e podem prejudicar o potencial produtivo de uma geração.